Móveis: melhor embalar com papelão ou plástico?

Durante uma mudança, o momento de empolgação de desfrutar a nova casa ou o escritório pode carregar certa dose de frustração se a escrivaninha chegar riscada, se a mesa de jantar for danificada ou se o sofá tiver estragos no tecido, verdade? Por isso, é preciso lembrar que, a exemplo de objetos delicados, os móveis e itens de maior tamanho também precisam de cuidados especiais na hora de embalagem.

E, para proteger de maneira eficaz seus móveis, você não precisa necessariamente escolher entre papel ou plástico, pode usar os dois. O tipo ou tamanho de item é o que vai demandar o uso de um material de embalagem ou outro. Por isso, sempre se planeje com antecedência, para ter tempo de comprar todo o material necessário e realizar o trabalho a tempo.

Escolhendo o material

papel ondulado é uma ótima opção para embalar pertences durante a mudança, e geralmente é usado para proteger móveis maiores, como sofás, colchões, tampos de mármore, mesas, peças do roupeiro, entre outros.

Serve para proteger os itens e reduzir impactos. Além disso, é o material mais indicado para preservar a integridade do acabamento das peças, especialmente em cantos de portas e móveis, vidros e eletrodomésticos.

Se pensarmos em plástico, o tipo mais usado é o plástico-bolha, por se tratar de um material bastante resistente e concebido para proteger superfícies. Assim como o papel ondulado, ajuda a resguardar seus pertences tanto no transporte como na carga e descarga do caminhão.

O plástico-bolha também é bastante útil para itens menores, como televisores, microondas e outros eletrodomésticos. Nesse caso, o ideal é embalar o objeto com o material e não se esquecer de forrar a caixa de papelão com papel, podem ser folhas de jornais velhos, por exemplo, para garantir um melhor acondicionado.

 

Embalagem para guarda-móveis

O que a maioria das pessoas não sabe é que há necessidades diferentes quando se faz a embalagem de um móvel para o traslado de uma casa ou escritório ou guardar a mobília por vários meses em um depósito fechado. O cuidado principal deve com a umidade. Há especialistas que preferem a dupla papel kraft e papelão ondulado e outros que defendem o uso de plastico-bolha e papelão.

“O ideal é primeiro envolver a peça com plástico-bolha para evitar umidade e depois envolver com papelão ondulado para proteger contra arranhões. Essa tese de que nunca se deve usar plástico-bolha é errada, pois as próprias fábricas de móveis sob medida enviam suas peças embaladas com plástico-bolha”, lembra a equipe da Transportar Mudanças.

Além da embalagem, também é preciso estar atento à disposição das mobílias e demais pertences no depósito ou box. A equipe da A Jato Mudança e Guarda-móveis recomenda:

“Para armazenar móveis desmontados é preciso embalá-los da mesma forma que veio da loja, retirando todas as peças: puxadores, dobradiças, cantoneiras, etc. Deixar as tábuas sem nada e acondicioná-las em papelão e amarrar forte para não ficarem frouxas e serem depositadas deitadas no plano, não diretamente no chão, sob o risco de empenarem.”

E lembre-se: você pode também contar com a assessoria de um profissional especializado. Grande parte das empresas de mudança conta com o serviço de embalagem, o que lhe garante segurança e evita que os móveis sofram danos indesejáveis.

Fonte: Mudança.com